entidade promotora:

Engenho & Obra
 
  A(s) Lusofonia(s)    

“Sempre chegamos aos sítios aonde nos esperam”
Do “Livro dos Itinerários”, citado por J. Saramago, in ”A Viagem do Elefante”

Espera-nos a serra na sua imensa grandeza, as pessoas na sua imensa generosidade, amizade, simpatia e profissionalismo. A Gardunha, inesquecível, paisagem agreste, as suas cores e cheiros, a abrótea e as cerejas. As manchas da uma natureza, quem sabe esquecida, das águas cristalinas nas dobras da serra. E o esplendor do Largo dos Caminheiros, da Crista do Galo, da Cova da Beira.

A Semana da(s) Lusofonia(s), uma iniciativa cujo mérito vai para os promotores e a cujo encerramento nos foi dado privilégio de participar.

Um almoço bem africano, com a deliciosa cachupa, um dos sabores da Lusofonia de Cabo-Verde, com feijão e milho estufados; um jantar de animado convívio, com a envolvência e a camaradagem de tanta gente boa, com quem privamos, com quem nos sentimos bem.

A tarde cai e vem a noite, com o espectáculo final: música, palavras, bailado, uma mescla de culturas que se interpenetram, a África do nosso imaginário, a marca dos “Verdes Anos” da nossa memória colectiva, os inesquecíveis sons de Abril, na brisa da noite, no calor humano de tanta gente de todas as idades.

Bem hajam aquelas e aqueles que nos proporcionaram esse dia na Gardunha. Como em todos os lugares em que passamos, ficamos com a suave e indelével sensação de gratidão das gentes, da solidariedade que quebra barreiras, das parcerias que vamos conseguindo, para as causas por que lutamos, para um mundo mais justo e mais solidário. Na rota de um Projecto que muitos têm apreciado e em que alguns (ao que parece) não vêm nem “pertinência”, nem “relevância”. Paramos sempre para pensar e agir melhor. Não paramos nunca num tempo que nos exige sempre e cada vez mais intervenção.

Alfredo Soares Ferreira
Fundão, 18 de Junho de 2010

« VOLTAR