entidade promotora:

Engenho & Obra
 
  Reflexões    

De volta a Portugal, após uma viagem cansativa (porque será, que na era da tecnologia e do conforto, as companhias aéreas continuam a não se preocupar em nos proporcionarem, no mínimo, um assento mais ergonómico?), faço inevitavelmente a comparação entre estes meus dois “mundos” tão inquestionavelmente diferentes!
Visto do ar tudo parece ordenado, organizado, enfim…é como se entrasse numa casa “pronta”, depois de se ter saído duma em início de construção!
É esta a visão que Angola me deixa: um país que dá os primeiros passos na senda da democracia, numa construção tímida, mas pujante, que se bem conduzida, poderá ser um exemplo no Continente Africano! Temo, ainda assim e no entanto, que não haja a sensatez necessária para esse trabalho árduo de construção da cidadania de todo um Povo!
É urgente capacitar a sociedade civil, dando consciência ao cidadão comum do seu papel nessa sociedade. Talvez assim, o grande problema de Angola – a distribuição da riqueza – comece a ser equacionado noutros moldes. Há que, de uma vez por todas, pelejar para que se restabeleçam valores intrínsecos ao Ser Humano.
Fiquei, portanto, ainda mais convicta de que o papel das ONGD como a nossa “Engenho & Obra” é crucial no actual momento, podendo ser o elemento gerador da diferença e o motor inevitável para a ED (educação para o desenvolvimento). É isso que é necessário acarinhar! É essencial construir a cidadania a par de toda a construção física por que Angola está a passar!

Bela
Braga, 31 de Agosto de 2008

« VOLTAR